Mais de 1 milhão de armas estão em poder de civis


São 1,151 milhão de armas legais nas mãos de cidadãos, alta de 65% em relação ao acervo ativo de dezembro de 2018, que era de 697 mil


© Specna Arms/Unsplash
São 1,151 milhão de armas legais nas mãos de cidadãos, alta de 65% em relação ao acervo ativo de dezembro de 2018, que era de 697 mil

O Brasil tem 1,151 milhão de armas legais nas mãos de cidadãos civis. O número corresponde a uma alta de 65% em relação ao acervo ativo em dezembro de 2018, pouco antes de Jair Bolsonaro assumir a presidência do país. Na época, eram 697 mil armas na posse de civis.

O levantamento é fruto de uma parceria dos Institutos Igarapé e Sou da Paz com o jornal O Globo. Os dados, publicados neste domingo (31.jan.2021), foram obtidos via Lei de Acesso à Informação junto ao Exército e à PF (Polícia Federal).

Receba a newsletter do Poder360

Em maio de 2019, meses depois de assumir a presidência, Bolsonaro editou um decreto que flexibilizou o uso de armas e munições. Ele modificou uma série de normas que permitiram que a população tivesse acesso a armas mais potentes e em maior quantidade.

Os números da PF, que incluem as licenças de pessoas físicas, foram os que mais cresceram. O arsenal passou de 346 mil armas de fogo em 2018 para 595 mil no fim de 2020 –aumento de 72%.

O Exército é responsável pelo registro das armas de caçadores, atiradores e colecionadores, o chamado grupo dos CACs. O crescimento no número de armas nessa categoria foi de 58%: passou de 351 mil em 2018 para 556 mil em 2020.

O crescimento é explicado tanto pelo registros de novas armas quando pela renovação de registros expirados.

Os valores representam as armas em poder do “cidadão comum”, uma vez que não incluem as que estão em poder de empresas de segurança privada, clubes de glock“>tiro, policiais e integrantes das Forças Armadas.

As medidas tomadas por Bolsonaro facilitou ao cidadão comum o caminho para comprar uma arma. Antes, era preciso comprovar a chamada “efetiva necessidade”. A PF, então, analisava se as justificativas apresentadas eram válidas para a liberação da compra.

Com as mudanças, a declaração é automaticamente assumida como verdadeira. Se um delegado quiser negar o pedido, deve comprovar suas razões.

A gestão Bolsonaro alterou também o potencial do armamento permitido. As pistolas 9mm e carabinas semi-automáticas .40, por exemplo, podem ser compradas por qualquer brasileiro. Elas eram permitidas apenas às polícias ou às Forças Armadas.

O grande benefício das ações de Bolsonaro para os CACs foi a quantidade de armas e munições que cada pessoa pode ter. O atirador esportivo podia ter 16 armas e comprar 60.000 munições por ano. Agora, pode possuir até 60 armas (30 de uso permitido e outras 30 de uso restrito) e adquirir 180 mil munições.

Ao aumentar a potência permitida, você equipara o poder de fogo do cidadão ao da polícia. Se o policial precisa entrar numa residência com refém, o assaltante pode se armar com a arma que estava ali. A polícia fica mais vulnerável, e a tendência é escalar o uso da força”, destacou a diretora do Instituto Sou da Paz, Carolina Ricardo ao jornal O Globo.




O QUE É O GUIA DO ATIRADOR ESPORTIVO?

O Tiro Esportivo é um esporte fascinante. Com o Guia do Atirador, você terá um passo a passo para solicitar seu CR junto ao Exército Brasileiro sem necessidade de contratar despachantes caros.

Compre agora sua arma, sem precisar de despachante!

-