Recarga de munição – Vale a pena? – InfoArmas

A algum tempo atrás o nosso colunista Samuel Coute fez o artigo “Quanto Custa a recarga de cada munição”disponível em: https://infoarmas.com.br/quanto-custa-a-recarga-da-municao-de-cada-calibre/

E essa discussão gerou a seguinte reflexão: vale a pena para você recarregar munição?

Parece uma pergunta com resposta fácil: Sim… Mas na vida real não é tão simples assim.

Primeiramente a recarga de munição não é mais uma atividade controlada pelo Exército. No anexo B da Portaria Colog 56 de 2017, leciona que “Recarga de Munições, não é atividade com PCE”. Ainda que a atividade não seja mais controlada, os equipamentos são. Na Colog 118 de 2019, traz a classificação do “equipamento de recarga de munições e suas matrizes”. No entendimento da DFPC, essa classificação compreende a prensa (corpo da máquina) e os dies (matrizes). Para fazer a aquisição desses itens tem duas formas: importação ou a aquisição em território nacional. Com abertura do mercado, ficou muito mais fácil a aquisição, bastando apresentar apenas a autorização de compra deferida pela OM/SFPC de vinculação do CAC.

Para análise dessa autorização de compra, a OM vai verificar duas coisas: se o CR está ativo, e se você possui armas registradas ao CR que corresponda ao calibre dos dies que estão sendo solicitados a compra.

Tirado esse fato de lado, vamos agora pensar no caso mais provável, o de que você é CAC e quer recarregar munição. A partir de quantas munições isso fica realmente viável?

Agora começa uma matemática interessante. Basicamente depende de dois fatores: Quanto você atira e em quanto tempo você quer “tirar o investimento”.

Quanto você atira vai determinar quantas munições você vai recarregar por ano. Não adianta nada comprar uma prensa com todos os acessórios para recarregar 50 munições por semestre. Nesses casos a munição original de treino ou a munição do clube serão suficientes para você.

Entretanto quando você começa a entrar em um esfera de maior treinamento e principalmente competição as coisas mudam de figura. Isso por que a grande vantagem da recarga mora em duas características: Quantidade e Qualidade.

Esqueça o que você sabe sobre munição recarregada se o que vem em sua cabeça é a munição comercializada pelos clubes. O foco da maioria deles está na quantidade e a qualidade fica de lado. Quando você faz suas munições você pode determinar a qualidade final da sua munição e atualmente para competir isso faz uma diferença bem grande.

Uma das críticas que recebemos ao testar as munições de 9×19 Luger em dois canos distintos nesse vídeo do Samuel que está abaixo, era de que estávamos utilizando munição recarregada. Diferente do que as pessoas imaginam a munição recarregada se feita da maneira correta é mais precisa e constante que a original. Isso por que nesse vídeo por exemplo foi medida que todos os projéteis e carga de pólvora tivessem exatamente o mesmo peso entre as munições, que o estojo foi utilizado pela primeira vez, que a altura de todas as munições fossem as mesmas, que todas as espoletas fossem da mesma bandeja e que por fim fosse tudo feito na mesma máquina na mesma hora. Esse tipo de grau de observação é impossível de se conseguir em uma munição produzida em larga escala.

Mas vamos aos números para que você que está interessado mais no aspecto econômico da recarga consiga ter uma ideia de quanto tempo vai levar pra tirar o seu investimento.

Maquina

A maquina de recarga completa (com todos os acessórios necessários para a recarga) mais em conta que consegui encontrar foi a LEE tipo C no site da Recarga Club. Assim entrei em contato com eles e consegui ainda um cupom de desconto de 3% para fazer essa máquina se pagar ainda mais rápido e poder ajudar mais pessoas a entrarem nesse nosso esporte. O Cupom é “infoarmas” e é válido para todo o site e não apenas essa tipo C. https://recargaclub.com.br/discount/infoarmas

O Valor do kit da tipo C é de R$ 3.053,31 caindo para R$2.961,71 com o desconto. Vamos considerar aqui a conta com a munição de 9mm que é hoje uma das mais populares entre os atiradores a um custo de R$1,09 por munição como o Samuel Cout calculou no artigo citado acima.

Prensa Lee tipo C da RecargaClub.com.br

Atualmente o preço da munição do tipo NTA da fabricante nacional, opção mais em conta das munições originais, está R$180,74 para uma caixa de 50 unidades. Portanto o custo por unidade fica em R$3,62. Esse preço foi consultado no dia 29 de setembro no portal oficial da empresa para a venda em uma região com ICMS de 25%. Sendo assim o preço mais em conta entre os estados. Aos estados que tiverem carga tributária maior o cálculo na realidade fica ainda melhor para a recarga.

Para motivos de comparação fixarei o valor da munição de Clube em R$3,00 o que é bem próximo da realidade atual na maioria dos locais.

Se você usa munição NTA:

  • A diferença entre a Original e a recarregada por você: R$ 2,53

A prensa com desconto custando R$2.961,71 se pagaria em 1170 munições (R$2.961,71 dividido pela economia por disparo de R$2,53)

Se você usa munição do Clube:

  • A diferença entre a munição recarregada de clube a sua recarga: R$1,91

Assim sendo você precisaria utilizar 1550 munições para valer a pena a compra (R$2.961,71 dividido pela economia por disparo de R$1,91.

Então quando vale a pena comprar uma prensa de recarga?

Se formos só se basear nos números aqui a prensa se torna viável de se comprar a partir do momento que você enxerga a oportunidade de economizar dinheiro e ter uma munição de melhor qualidade. Para algumas pessoas isso não se torna realidade pelo baixo número de disparos que a pessoa quer fazer durante um período determinado por ela.

É extremamente plausível hoje utilizarmos uma média de 600 disparos por ano por um Atirador que não participe de competições ativamente. Ao meu ver já nesse número valeria a pena ao Atirador adquirir a prensa, pois em menos de três anos a mesma se pagaria pela economia entre munições adquiridas no clube e as produzidas.

Além disso é importante levar em consideração que prensas da mesma forma que armas não tem uma depreciação tão acentuada e muitas vezes se valorizam com o passar do tempo. Principalmente me tempos de escassez de munições como agora ou em tempos de alto do dólar. Assim sendo muitas vezes você não somente economiza nas recargas, mas em caso de venda do equipamento acaba lucrando no processo.

Conclusão

Só para finalizar, a escolha pela compra de um equipamento desses deve ser 100% sua, não é por que eu posso aceitar um retorno demorado que as vezes você pode e muitas vezes financeiramente fica pesado a compra devido ao fato de você ter de desembolsar o valor de maneira rápida e o retorno ser mais lento, podendo levar alguns anos.

Mas de maneira geral eu sempre incentivo as pessoas a adquirirem esses equipamentos. Isso por que além dos ganhos financeiros gerados pela economia na confecção das munições você ganha em qualidade delas. Consegue recuperar o investimento na maioria das vezes em um período de 2 a 4 anos e ainda consegue repassar essa máquina posteriormente com valor próximo ao de compra.

Em momentos de pandemia e falta de munições no mercado, ter uma maquina de recarga foi a diferença entre poder praticar o glock“>tiro ou ter de esperar mais alguns meses para voltar ao clube.




O QUE É O GUIA DO ATIRADOR ESPORTIVO?

O Tiro Esportivo é um esporte fascinante. Com o Guia do Atirador, você terá um passo a passo para solicitar seu CR junto ao Exército Brasileiro sem necessidade de contratar despachantes caros.

Compre agora sua arma, sem precisar de despachante!

-